top of page

Por que Karielle Medeiros não está alinhada com a família na política?

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente em Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

A saída de Karielle Medeiros como líder do governo na Câmara Municipal de Assú e a exoneração do seu esposo Marcelo Nunes como secretário adjunto de eventos do município, mostra que os Soares enquanto entidade política, precisaria pensar e lançar um nome ao legislativo nos próximos anos que se sentisse, de fato, pertencente à família e conduzisse uma relação mais articulada e favorável ao grupo dentro do poder legislativo.

Tivemos acesso a relatos que apontam que a vereadora Karielle não se sente representada enquanto prima do Prefeito Gustavo e do Deputado George Soares. Sua atuação como líder do governo passou a ser vista com ambiguidade por aliados governistas, após a parlamentar supostamente ter se encontrado com o ex-candidato a prefeito, Patrício Júnior. Sua proximidade com a atual vice-prefeita, Fabielle Bezerra, que tenta se projetar à sucessão, também foi encarada com desconfiança.

Essa falta de pertencimento familiar ou outro motivo aparente deu indícios na sexta-feira (23). Minutos após a exoneração do esposo de Karielle da prefeitura anunciado aqui no Observatório da Várzea, o mesmo saiu compartilhando uma imagem brindando ao lado do chamado ‘’F4’’, bloco que reúne Karielle, a vice Fabielle e os vereadores Walace e Paulo Brito, sinalizando não ter dado tanta importância diante de sua demissão.

O ex-prefeito da cidade, José Maria (Zebrinha), pai de Karielle Medeiros, afirmou em novembro em um aplicativo de mensagem que se sentiu decepcionado pelo fato dela se reunir com Patrício Júnior. Zebrinha, como é conhecido, ainda declarou que pensava de forma diferente, mas que respeitava as escolhas e os atos políticos da filha.

O contexto que envolve Karielle Medeiros é complexo, uma vez que o cenário nacional evidenciou o quanto os caciques inserem os filhos na política e as famílias tradicionais acabam fortalecendo suas bases e conquistando alinhamento nas tomadas de decisão no executivo e no legislativo, algo que ela acabou não proporcionando ao bloco de situação. O que pode ter motivado Karielle a seguir um caminho oposto do que se previa? Só ela e o tempo podem dizer.

111 visualizações