top of page

HOSPITAL REGIONAL DE ASSÚ É CONTEMPLADO COM 10 LEITOS DE UTI.

Atualizado: 26 de ago. de 2020

Por Gicardson Lima, Graduado em Letras, Inglês e Português pela UERN, editor Colaborador do Observatório da Várzea.


Diante do estado de pandemia da Covid-19 surgiu uma demanda significativa por respiradores em todo o mundo e não seria diferente aqui no Brasil. A ventilação mecânica é fundamental no tratamento dos casos mais graves de infecção pelo novo coronavírus, sobretudo, quando os pacientes apresentam dificuldades respiratórias.


Ainda no início, quando os números brasileiros chegaram a 100 mil infectados, existia no país algo por volta de 65 mil aparelhos. Dessa forma, em meados de maio já havia a preocupação de uma possível escassez de equipamentos. Antes disso tudo, no começo de abril, pesquisadores brasileiros e americanos divulgaram um estudo apontando que no mesmo mês o sistema de saúde nacional poderia começar a sofrer com a falta de leitos e respiradores.


De fato, nesse mesmo período, diversos estados do Norte e Nordeste tinham índices de ocupação de UTIs superiores a 90%, o que poderia desencadear em insuficiência de ventilação mecânica para portadores de coronavírus. Por conseguinte, durante o mês de julho o Rio Grande do Norte já era o terceiro estado brasileiro em número de leitos de UTI Covid-19 para adultos por habitantes, com 1,2 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes. Atrás apenas do Espírito Santo e Pernambuco. Até o corrente mês, o RN dispunha de 284 leitos adultos exclusivos para Covid-19 abertos pelo Governo do Estado ou com sua participação por meio de contrapartida, segundo Boletim do Observatório Fiocruz.


Porém, segundo boletim emitido pela SESAP, no dia 21 de julho era registrado uma taxa de ocupação de 83,72% dos leitos críticos do Sistema Único de Saúde do RN. O objetivo do boletim é trazer informações capazes de auxiliar na tomada de decisões relativas à adoção de medidas de distanciamento social de maior ou menor restrição no contexto pandêmico.

Embora apresente informações positivas em relação à situação do RN, a cidade do Assú ainda não tinha sido beneficiada com leitos de UTI que viessem de forma adequada, dentro de todos os protocolos sanitários, oferecer o serviço emergencial aos infectados por COVID-19 no município. Sendo que, aqueles que viessem a apresentar um quadro grave e que houvesse a necessidade de um leito de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) deveriam ser deslocados para outra cidade com possibilidades de oferecer leitos disponíveis.


Tão somente, no dia 26 de maio de 2020, o Deputado George Soares, durante Sessão Ordinária Remota, reiterou a solicitação ao Governo do Estado para implantação de uma UTI no Hospital Regional Dr. Nelson Inácio dos Santos, para tratamento dos pacientes que necessitam dos devidos cuidados, sobretudo, no tratamento dos casos mais delicados por coronavírus. Até então, a cidade de Assú, já apresentava um número de 109 casos confirmados de infectados e 04 óbitos, segundo número divulgado pela Secretaria de Saúde do Município.


Uma aquisição que é de suma importância, não só para a cidade, mas também para todo o vale do Açu, o qual teria como oferecer aos seus munícipes um atendimento que é encontrado tão somente em outras cidades e não tão próximas assim.

Não muito obstante, no dia 08 de junho de 2020, a Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN divulga a criação de 63 leitos, 10 deles destinados à cidade de Assú, com prazos de instalação dentro de quinze dias. Uma espera na qual as pessoas que estavam precisando tiveram que amargar.


Assim, desde a data do pronunciamento, os números mostrados pela Secretaria de Saúde assuense demonstrava um quadro evolutivo preocupante com 168 casos confirmados e 10 óbitos. E levando em consideração o dia do anúncio, e se estendendo aos 15 dias prometidos para o início das instalações das UTIs, o número de infectados já havia aumentado em mais de 100 pessoas, e 3 eram somados aos óbitos.

Enfim a data de 17 de agosto, e os tão sonhados, esperados e necessários leitos de UTI têm como destino o Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos. Dez leitos que chegam em um momento delicado de quadro pandêmico em que se encontra o município de Assú. Com números assustadores que já ultrapassam a marca de mil pessoas infectadas, e mais de 50 mortes causadas pelo novo coronavírus.

É positiva a iniciativa de todos os envolvidos pela a aquisição dos 10 leitos. São ações como essas que elevam a dignidade e a esperança das pessoas, principalmente, a confiança nos governantes, aos quais foram designados através do voto a servir ao povo. Porém, esses que estão incumbidos de gerir a máquina pública precisam perceber que por trás desses números há histórias de pessoas. E que as representações frias por meios de dados não exprimem a urgência que a pandemia impõe.


É necessário que haja um empenho maior por parte dos setores responsáveis, e garantir de forma justa e humana a saúde prevista na constituição brasileira. Pois, além de proporcionar votos, os cidadãos também são contribuintes, os quais proporcionam o funcionamento da coisa pública, a qual deve ser manuseada com responsabilidade.


Por fim, parabéns a cidade do Assú, que agora disponibiliza de um setor tão fundamental para o contexto da saúde pública local. São 10 leitos de UTI, que poderia ter chegado antes, mesmo que fosse como uma bandeira encampada em pleitos anteriores, contudo, chegam em uma boa hora, tanto para aqueles acometidos pelo COVID-19, quanto para outras urgências indesejáveis. Antes tarde do que nunca!


Estamos observando...



81 visualizações

Posts recentes

Ver tudo